Embora com os lucros voltando a crescer, como vêem mostrando os principais veículos de comunicação, as empresas do setor de Telecom não querem reconhecer que os seus trabalhadores também foram responsáveis por estes resultados positivos.

 A prova disso é o total desinteresse das operadoras nas negociações que vêm ocorrendo. Na Claro, a Comissão abordou a falta de finalização da negociação do PPR 2017, onde a empresa, em sua fala, apontou reajuste ZERO para salários e benefícios. Diante dessa provocação, a Comissão que quase abandona a mesa, abordou também a pendência dos acordos 2015-2017 e aditivo 2016.

Diante de tamanho descaso, a mobilização dos trabalhadores passa a ser uma necessidade na buscar por melhoria na proposta. Não dá para ficar parado e aceitar tudo calado. Se os resultados estão sendo positivos, é graças ao trabalhador que bate metas, que sofre assédio e que é desrespeitado todos os dias.

 
 

 
Veja mais
  • VIVO - PARA PROPOSTA INDECENTE, TRABALHADOR TEM QUE DIZER NÃO
  • LIQ/ CONTAX - O NOME MUDOU, MAS AS MÁSCARAS AINDA NÃO CAÍRAM
  • TIM APRESENTA PROPOSTA QUE SERÁ LEVADA AOS TRABALHADORES
  • Estudos apontam perda de R$ 1 tri em renúncia fiscal após leilão do pré-sal...
  • BANDIDOS INVADEM PRÉDIO DA CLARO, EM FORTALEZA, FAZEM TRABALHADORES DE REFÉM E ARROMBAM CAIXA ELETRÔNICO
  • CUT divulga calendário de lutas e fará paralisação em novembro
  •