Na última reunião com a Engeset, que ocorreu no dia 21 de fevereiro, em Recife/ PE, os representantes dos trabalhadores tiveram que discutir ponto a ponto cada item da pauta para que pudesse ser feito uma análise e consequentemente obter a uma resposta da empresa para cada assunto. (veja a baixo)

A pesar de ter vários pontos a serem discutidos, o carro chefe do encontro era mesmo a implantação da nova escala de trabalho, bem como o valor do pagamento das horas extras, pois são fatos que atingem diretamente a qualidade de vida dos trabalhadores.

Já para a prestadora, as várias tentativas de implantação de escalas e horários diferenciados de trabalho sem prévia e discussão com os trabalhadores e com o sindicato, rendeu apenas uma reiteração de sua disposição em compreender as reivindicações dos trabalhadores.

 

VEJA COMO FICOU A RESPOSTA DA ENGESET PARA CADA PONTO

A) Elevado custo de participação dos trabalhadores na manutenção do plano de saúde para titulares e dependentes. A empresa propôs alterar a operadora do plano de saúde, passando para Unimed, que obteria uma redução significativa de 41% no custo da mensalidade para o trabalhador. A migração de plano só poderá ocorrer sem o cumprimento de novas carências quando do fim do contrato com o Bradesco, em agosto. A bancada sindical deverá responder quanto ao momento de migração, se imediatamente ou se no encerramento do contrato com o Bradesco.

B) Sistema de controle de registro de frequência. A empresa informou que está em fase final de implantação de uma nova ferramenta de registro e controle de frequência, o qual entrará em produção no próximo dia 28 de fevereiro. O registro será efetuado por meio de aplicação da digital em aparelho celular.

C) Lançamento negativo de horas no Banco de Horas sem a efetiva compensação da jornada. A empresa verificou denúncia mediante a comparação dos espelhos de ponto com os registros de deslocamentos no GPS e os controles de Ordens de Serviço. Foi detectado 109 trabalhadores com este problema. O pagamento estava programado para ocorrer no dia 9 de fevereiro, mas foi suspenso temporariamente, pois os trabalhadores informam que as horas estavam incorretas.

D) Compensação da redução na remuneração média dos trabalhadores em razão da redução no volume de horas extras realizadas. A empresa ficou de apurar o valor médio das horas extras e sobreavisos pagos no período de 01/05 a 31/12/2017, pagando esse valor pelo período de seis meses.

E) Implantação da nova escala de trabalho. Por solicitação da bancada sindical, a empresa informou que o valor médio pago pelos sobreavisos realizados é de R$ 324,00 e de R$ 466,00 para as horas extras efetuadas. Na avaliação dos dirigentes sindicais, esses valores correspondem a 50% do salário nominal dos trabalhadores, porém o impacto financeiro sobre a renda dos empregados é elevado. Mêsmo os representantes da empresa destacam, que o esforço tem o objetivo de elevar a qualidade de vida do trabalhador e evitar o adoecimento, os dirigentes sindicais dizem ao contrário e destacam, que essa proposta compromete a renda dos trabalhadores, o que também impacta na qualidade de vida dos empregados. Com isso, foi proposto 10% (dez por cento) a partir de 1º de março de 2018, sem prejuízo do eventual reajuste salarial por ocasião da celebração da Convenção Coletiva de Trabalho. Os representantes da empresa informaram não ser possível responder no momento, em razão de serem necessários estudos e avaliações pela empresa, comprometendo-se, contudo, em apresentar uma resposta até o próximo dia 27 de fevereiro.

PROPOSTA ENGESET PARA IMPLANTAR ESCALA

MÉDIA HORA EXTRA 2016 + 2017 + MÉDIA SOBREAVISO 2016 + 2017 X 2 DIVIDIDO EM SEIS PARCELAS

F) Termo de responsabilidade de veículos. A bancada sindical cobrou da empresa ajustes no termo de responsabilidade que foi apresentado e exigido a assinatura dos trabalhadores que é extremamente prejudicial. A empresa informou ter efetuado ajustes no termo, ficando de apresentá-lo imediatamente.

G) Seguro de vida. Diante de relatos dos trabalhadores, a bancada sindical informa que, o seguro de vida não vem sendo descontado há dois meses. A empresa comprometeu-se a averiguar e esclarecer tal situação.

H) Adicional de Periculosidade. Na visão da bancada sindical, todos os trabalhadores, em razão até mesmo da implantação da própria escala, atuam também em atividades periculosas, de modo que é devido a todos o respectivo adicional. A empresa advoga que o adicional somente deve ser pago para quem efetivamente atua em atividade periculosa, independentemente do título ou nome do cargo, razão pela qual informa que o SESMT realizará uma ampla verificação das situações, respondendo à bancada sindical em até 40 dias.

I) Gratificação de Férias. A bancada sindical reitera questionamento anterior quanto à manutenção do vale refeição por ocasião das férias, conforme disposto na Convenção Coletiva no que diz respeito a manutenção de condições mais benéficas. A empresa, uma vez mais, não pode apresentar uma resposta definitiva neste momento, comprometendo-se a fazê-lo até uma próxima reunião.

J) Fornecimento do vale refeição nas horas extras aos sábados, domingos e feriados. A empresa informou que faz o reembolso apresentando a nota no limite de R$ 30,00 por refeição. A bancada sindical propôs que fosse feito o pagamento via fundo fixo.

K) Fornecimento do vale alimentação após a 2ª hora extra. A empresa informou que esse valor também é feito por reembolso.

L) Reenquadramento dos assistentes técnico para técnicos. A empresa informou que já tem um projeto para enquadrar os assistentes nos casos em que seja comprovado que tem a função de técnico, a partir de março. As dúvidas deverão ser esclarecidas diretamente com o RH local.

 
 

 
Veja mais
  • REDE CONECTA INDUZ HORA EXTRA, COM NOVO SISTEMA, MAS NÃO QUER PAGAR POR ELAS
  • INFORME DA OI
  • REDE CONECTA – SINTTEL CONVOCA TRABALHADORES PARA DISCUTIR PROPOSTA PAUTA DO CCT/ACT2018
  • LIQ - APAGÃO COMPROVA DESRESPEITO AO TRABALHADOR E GERA DENÚNCIA NO MPT
  • Empresa é condenada a indenizar funcionária por restringir acesso ao banheiro
  • REPÚDIO NACIONAL AO POUCO CASO DOS PATRÕES NO TELEATENDIMENTO*
  •